domingo, 24 de janeiro de 2010

MANO A MANO

Essa música é simplesmente incrível!!!
Letra e música de uma sinuosidade incomparável!
E é, até onde eu sei, a única parceria entre
Chico Buarque de Holanda e João Bosco.

Alguém conhece outra?

Mano a Mano
Chico Buarque e João Bosco
Meu pára-choque com seu pára-choque
Era um toque
Era um pó que era um só
Eu e meu irmão
Era porreta
Carreta parelha a carreta
Dançando na reta
Meu irmão
Na beira de estrada valeu
O que era dele era meu
Eu era ele
Ele era eu

Ela era estrela
Era flor do sertão
Era pérola d'oeste
Era consolação
Era amor na boléia
Eram cem caminhões
Mas ela era nova
Viçosa, matriz
Era diamantina
Era imperatriz
Era só uma menina
De três corações
E então

Atravessando a garganta
Jamanta fechando jamanta
Na curva crucial
Era uma barra, era engano
Na certa, era cano
Na mão, mano a mano
Pau a pau
Na beira de estrada se deu
Se o que era dele era meu
Ou era ele ou era eu

Ela era estrela
Era flor do sertão
Era pérola d'oeste
Era consolação
Era amor na boléia
Eram cem caminhões
Mas ela era nova
Viçosa, matriz
Era diamantina
Era imperatriz
Era só uma menina
De três corações
E então

Então lavei as mãos
Do sangue do
Meu sangue do
Meu sangue irmão
Chão


4 comentários:

Arnaldo disse...

Não há nada mais Guimarães Rosa do que essa música. Também não conheço outra parceria entre os dois. Nem precisa!

Andréa Lion disse...

boa,arnaldo!!!

figbatera disse...

Puxa, nunca tinha ouvido essa música; nem sabia dessa parceria.
Muito legal!

Carioca da Vila disse...

Tb. não, e olha que tenho muito do Chico...