domingo, 30 de agosto de 2009

DEUS E O DIABO NA TERRA DO SOL

glauber rocha, maurício do valle, othon bastos, rogério duarte, antônio conselheiro, euclides da cunha, guimarães rosa, villa-lobos, sérgio ricardo, corisco, lampião, deus , o diabo, o vaqueiro, o coronel, o sol, o sertão, monte santo, o nordeste, canudos ,o brasil, o cangaço, a caatinga, a luta, a guerra, o cinema brasileiro, 1964.

4 comentários:

Arnaldo disse...

Apesar da fama de Tarra em transe, Deus e o diabo na terra do sol é o filme de Glauber de que mais gosto, sobretudo pela trilha sonora.

Anônimo disse...

querida Andrea, achei você no blog da cris. A defesa foi sexta, e como você diz foi uma "pedreira", 3caras mandando fogo (te entrega, Corisco!!!, eu não me entrego não).
Mas no fim, só alegria, beber e comemorar com os amigos. beijos, parabens pelo blog colorido e antenado, sua cara!
Cleide

cris K disse...

"Eu me entrego só na morte de parabelo na mão."

chuchu, o tempo tá corrido pra escrever, mas sempre passo por aqui. vi as fotos do cerradão... lindas. que saudade! qdo vem me visitar? rs

beijinhos

Movimento Cultural de Penápolis disse...

Belo filme e lindo cartaz o antológico Antonio das Mortes(Othon Bastos) matador de cangaceiro.
A musica original é assim: Se entrega Corisco / - Eu não me entrego não, só me entrego morto de parabelo na mão.
Uma idéia na cabeça e uma camera na mão o slogan do cinema novo.
Reinaldo