sexta-feira, 3 de julho de 2009

BRUTA FLOR DO QUERER

vontade sem fim de sair andando por aí, sem rumo ou destino certo... vontade de me perder um pouco do cotidiano, da rotina escalavrante que essa vida tem. vontade de ser eu mesma em outra paisagem... vontade de improvisar, arriscar um salto pra dentro de mim mesma. vontade de ser um mapa, destino, parada. vontade de ser fonte, marco, início e fim, como o sol ou a lua. vontade de ser em carne viva, filete de sangue. vontade de não querer nada nem ninguém... vontade de ser livre de tudo o que é previsível, ridículo ou absurdo. vontade de ser sozinha, como um dia fui e nunca mais serei... vontade de ser lágrima quente. vontade de ser música, fogo, fábula... vontade de ser cinza, alimento, adubo .... vontade de ser fotografia antiga, relógio sem ponteiros, moldura vazia... vontade de ser tinta, cor, textura... vontade de ser punhal, espelho, reflexo. vontade de ser criança, balanço, sorriso.... vontade de ser grito, urro, uivo! vontade de ser pingo, chuva, enchurrada... vontade ser rio, peixe, pedra. vontade de ser pegada na areia, rastro, sinal. vontade de voar... vontade de ser fala, pura palavra, plurilíngua. vontade ser pele, pêlo, arrepio. vontade de não ser... ah, bruta flor do querer!!

3 comentários:

Guzz disse...

bela foto, belas palavras !

a mais sublime conclusão que a soma de todas essas partes é muito mais que o todo
... ao mesmo tempo em que todas essas vontades se resumirão em uma (única) unidade

gostei !

bjs

Júnia Freire disse...

Andréa, veio sempre aqui e nunca deixo meu rastro. Suas fotos são bem bonitas e gosto muito da sua maneira de escrever. Lendo esse texto fiquei com uma sensação de estranheza. Seu texto remete a imagens e a imagem que eu tive dele foi de um vulcão em erupção. Texto de uma doce brutalidade e com sensualidade nas entrelinhas. Tenho vontade de voltar sempre!
Abraços.
Júnia Freire

A n d r é a disse...

me lembrei da canção do cartola.
bela janela chuvosa para buscar-se o mundo...