segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Sem um pingo de paciência com a humanidade hoje.

Um comentário:

Nico Nicodemus disse...

Os humanos que nos perdoem,
mas a impaciência é infinita;
os humanos que nos perdoem,
mas a paciência um dia irrita.

De tanta paciência estrangulada pelas gargantas
a falta de ação se precipita
a inanição desinfla e agita
a população que não se sabe aflita