quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

o dia tá lindo.
o calor insuportável.
não tenho dinheiro.
vou sair a tarde.
tomar banho de mar.
fritar no sol.
comprar acetona e jornal.
censurar algumas cores.
ver o mar em preto e branco.
desligar-me daquilo que me amarra.
sintir-me uma barata tonta
de sol e calor,
pronta para ser mordida.
mas não quero carne de ninguém.
sonhei com ele hoje,
no melhor do nosso tempo.
mas não paro pra pensar nisso.
acordei ao lado de uma coisa boa
que num abraço despediu-se
e com meu rosto entre suas mãos beijou-me a boca.
arrumo minha bolsa,
filtro solar, água e um livro do leminski.
de vez em quando,
só a poesia me salva.

Quadro de Monica Lion

5 comentários:

eLi disse...

A presença perseguidora do calor...
Poesia.
E precisa de mais?!

Beijo

nora disse...

te sinto feliz, isto em si só é estar salva!!!

andrea disse...

é, a ilusão da felicidade........
rsrs
acho que é salva-vidas no naufrágio, mas vida mesmo, não.
agora que é bom rir sozinha (e acompanhada!!) ah, isso é!!!
beijos amiga!

Vanessa Dantas disse...

PQP! Que coisa linda, Andrea! Salve o Leminski! Salve a poesia que é o que salva! beijo.

angelo disse...

"e com meu rosto entre suas mãos beijou-me a boca." Achei lindo isso!
Parabéns,